Jornal IN | Itamaraju NOTÍCIAS - IN 24 horas - Jornal eletrônico com notícias de ITAMARAJU e região
Itamaraju (BA)
  • WhatsApp (73) 99958-1514

‘Tenho sofrido ameaças de morte’, diz ex-esposa de DJ Ivis após expor agressões

Celebridade
Publicado em 18 de jul de 2021 e atualizado às 12:36

Se está em busca de produção e instalação de pias, balcões, pisos, escadas, soleiras, peitoris, banheiras e muitos mais, passe na VITÓRIA MÁRMORE E GRANITO!

Em comunicado feito nas redes sociais, a ex-esposa do músico DJ Ivis, Pamella Holanda, fez várias declarações sobre sua vida após tornar públicas as imagens das agressões. A mulher contou no último sábado, 17, que vem sofrendo ameaças de morte. “Não estou bem, tenho sofrido ameaças de morte. Já li de outras mulheres que mereço passar fome. Eu e minha filha. Preciso de paz. Mereço paz”, escreveu em um story no Instagram.

Pamella também repudiou as alegações. O apresentador  de emissora de TV havia dito que a mãe de Pamella seria conivente com as agressões sofridas pela arquiteta em troca de dinheiro: “Pelo amor de Deus, que absurdo. Que espécie de valores ou mulher seria ela se aceitasse ou se vendesse dessa forma. Isso foi veiculado no programa do Geraldo Luís, com o qual já tentei contato e também foi feito um Boletim de Ocorrência em vista da injúria cometida por ele em rede nacional contra a minha mãe”.

A ex-esposa do músico aproveitou o momento para refutar os comentários insinuando que ela estaria na relação por interesse financeiro. “Não saí com com conta recheada, com bolsa de marca, nem aparelho celular de última geração. Não dei um golpe, e quando eu o conheci, ele não tinha nada. Eu o amei de verdade. Tudo que for de competência da Justiça vai ser feito”, relata.

“Seria muito mais fácil eu estar num palácio do que ter a coragem de dar um ponto final numa vida de aparência. (…) Nada paga uma vida de paz”, conclui.

Por fim, Pamella relatou que, por causa da falta de pagamento, ela e a filha precisarão deixar o apartamento onde moram. “Eu retirei todas as minhas coisas e da minha filha da casa que morávamos porque a construtora, então dona da casa, pediu. Porque por falta de pagamento eu não poderia estar mais lá, não teria direito”, desabafa.

Por | Correio da Bahia