A falta de respeito às medidas, provocam aumento de casos e mortes por COVID

As orientações e medidas adotadas pelas autoridades no último mês (março/2021), pouco se tornaram eficientes referente a conscientização da população.

Na maioria dos municípios do Brasil, houveram aumentos de casos e mortes, após confirmação da infecção pelo coronavírus.

Muitas cidades adotaram medidas como bandeira roxa, autoridade utilizaram de ferramentas judiciais para impedir a circulação da população.

Na Bahia o governador recorreu a força da tropa militar, para reduzir o fluxo de pessoas, centros comerciais e avenidas movimentadas.

Em consonância com algumas destas medidas a população de Itamaraju, passou a seguir horários de funcionamento. No entanto, muitos munícipes ignoraram as medidas, fomentando aglomerações, festividades e transmissão do SARS-CoV-2.

Em Itamaraju as taxas de transmissão cresceram 13,93 por cento, mas o crescimento da letalidade (mortes) é 16,39%, comparadas com todos os dados e registros até o mês de fevereiro.

Outra preocupação do governo do estado, atribui atenção a aumento das mortes em pessoas com idades menores, chegando percentuais de 447%.

Mais de 331 mil jovens entre 20 e 39 anos contraíram o coronavírus (Covid-19) na Bahia desde o início da pandemia. Ao analisar o número de óbitos mensais nesta faixa etária, identifica-se um aumento de 447% no comparativo de março deste ano com novembro de 2020.

“Em apenas quatro meses, o número de óbitos nesse grupo cresceu vertiginosamente. Por serem a base da pirâmide da força de trabalho, naturalmente estão mais expostos a infecção, porém ao não utilizarem a máscara, se recusarem a manter o distanciamento social e não higienizarem as mãos com frequência, agravam a situação”, afirma o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas.

Deixe seu comentário