Confira os marcos da história da indústria na Bahia

Compartilhe

Fundação da FIEB, em 1948

A história da Indústria na Bahia começa no século 19. Em 1808, ano em que a família real portuguesa se mudou para o Brasil, Dom João VI revogou o alvará que proibia manufaturas têxteis. Além disso, a monarquia abriu os portos para o comércio exterior e fixou uma taxa de 24% para produtos importados, exceto para os portugueses, que foram taxados em 16%. Em 1815, a primeira máquina a vapor foi instalada na Ilha de Itaparica, no Engenho Iguaçu.

Diversas fábricas foram instaladas no mesmo período na Bahia. A primeira delas foi a Areia Preta, no Solar do Unhão, em Salvador, fundada pelo suíço Méuron. A instalação produzia rapé, um fumo de corda torrado e moído, aspirado pelas narinas em pequenas quantidades – hábito muito comum entre os brasileiros à época. Em 1892, o estado já ocupava o terceiro lugar na produção industrial no Brasil, possuindo 142 indústrias.

O início do século 20 foi marcado pela fundação da Fratelli Vita, fábrica de refrigerantes e dos mais valiosos cristais já produzidos no Brasil até sua venda nos anos 70. Em 1948 foi fundada a Federação das Indústrias do Estado da Bahia, com a finalidade de representar e promover o crescimento da indústria baiana. No mesmo ano, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), que existia no estado desde 1945, foi incorporado à FIEB para que juntas, trabalhassem de forma coesa e articulada.

Mais recentemente, nos anos 2000, foi inaugurado o SENAI CIMATEC, maior centro de treinamento e pesquisa da indústria de manufaturados do Norte e Nordeste.  Por sua vez, o Polo Industrial de Camaçari comemorou 35 anos de implantação em 2013 e no ano seguinte o local foi palco da inauguração da primeira fábrica de motores da Ford no Nordeste, com capacidade para produzir 210 mil motores ao ano. Em 2013, o Polo Industrial de Camaçari comemorou 35 anos de implantação. No ano seguinte, o local foi palco da inauguração da primeira fábrica de motores da Ford no Nordeste, com capacidade para produzir 210 mil motores ao ano. Já o ano passado foi marcado pelo início das operações do cais Santa Dulce dos Pobres, em Salvador, que, somado ao de Água de Meninos, totalizou 800 metros lineares de cais de atracação. Confira os marcos na história da indústria baiana:

Século XIX

  • 1808 – A família real portuguesa muda-se para o Brasil e D. João VI revoga o alvará que proibia manufaturas têxteis e abre os portos ao comércio exterior.
  • 1815 – Instala-se a primeira máquina a vapor na Ilha de Itaparica, no engenho Iguaçu, cujo proprietário era o coronel Pedro Antônio Cardoso.
  • 1816 – O suíço Méuron implanta, no Solar do Unhão, em Salvador, a primeira fábrica na Bahia, Areia Preta, a qual produzia rapé, um fumo de corda torrado e moído.
  • 1820 – Adoção de novas técnicas na fabricação do açúcar, como o uso de cilindros horizontais e utilização do bagaço da cana-de-açúcar como combustível.
  • 1841 – Criação da Fábrica dos Úteis com a finalidade de fabricar papéis para os jornais da Bahia e de outros estados.
  • 1844 – Fundada na cidade de Valença a primeira fábrica de tecidos da Bahia: a Têxtil de Todos os Santos, primeira indústria nacional movida por energia hidráulica.
  • 1873 – Na cidade de São Félix, no Recôncavo Baiano, é fundada a fábrica de charutos Dannemman, a mais antiga desse ramo no Brasil.
  • 1891 – O empresário baiano Luiz Tarquínio funda a Indústria Têxtil Companhia Empório Industrial do Norte, no bairro de Boa Viagem, em Salvador.
  • 1892 – Luiz Tarquínio constrói a primeira vila operária do País. Foi pioneiro ao introduzir benefícios trabalhistas, como a licença-maternidade.
  • 1892 – Bahia ocupa o terceiro lugar na produção industrial no Brasil, possuindo 142 indústrias.

Século XX

  • 1902- Fundação da Fratelli Vita, fábrica de refrigerantes e dos mais valiosos cristais já produzidos no Brasil até sua venda nos anos setenta.
  • 1927 – Inaugurada, em Ilhéus, a fábrica Vitória, que produzia mercadorias derivadas do cacau e pertencia a Empresa Cacau Industrial e Comercial S. A.
  • 1939 – Primeiro poço de petróleo no Brasil é descoberto no bairro de Lobato, em Salvador.
  • 1945 – O SENAI é implantado na Bahia.
  • 1948 – A Fieb é inaugurada com a finalidade de representar e promover o crescimento da indústria baiana.
  • 1950 – Jornais baianos da época abrem espaço para discutir as possíveis causas e as soluções eventuais para a estagnação da indústria baiana, denominado de enigma baiano.
  • 1950 – A Refinaria Landulpho Alves é implantada em Mataripe.
  • 1967- Inauguração do Centro Industrial de Aratu, complexo industrial multissetorial, na Região Metropolitana de Salvador.
  • 1971 – Porto Malhado, primeiro porto de mar aberto, é inaugurado em Ilhéus.
  • 1972 – Criação do Centro Industrial dos Imborés, em Vitória da Conquista.
  • 1978 – No dia 29 de junho, o Polo Petroquímico de Camaçari – hoje, Polo Industrial de Camaçari – foi inaugurado, incluindo a Copene e outras dez indústrias.

Anos 2000

  • 2001- Complexo Automotivo FORD é inaugurado em Camaçari, incluindo 23 fornecedores de sistemas para veículos como o EcoSport.
  • 2002 – Criação da Braskem, resultado da fusão de seis empresas do Polo de Camaçari (Copene, Nitrocarbono, Poliaden, OPP, Trikem e Politeno), passando a ser a maior empresa petroquímica da América Latina.
  • 2002 – Inauguração do SENAI CIMATEC, maior centro de treinamento e pesquisa da indústria de manufaturados do Norte/Nordeste.
  • 2006 – Setor de calçados na Bahia ganha destaque com a implantação de 11 empresas no estado, representando investimentos de cerca de R$ 55 milhões.
  • 2007 – Inaugurada a fábrica da Columbia Chemicals, considerada a terceira maior produtora de negro-de-fumo do mundo (matéria-prima para pneus).
  • 2010 – 65% do crescimento industrial baiano ocorre no interior do Estado.
  • 2011 – São inauguradas no Polo Industrial de Camaçari fábricas para produção de peças para a indústria eólica, fazendo da Bahia um polo produtor de equipamento para a geração eólica.
  • 2014 – A Ford inaugura a primeira fábrica de motores do Nordeste, em Camaçari, com capacidade para produzir 210 mil motores/ano.
  • 2019 – Inaugurado o SENAI CIMATEC Park, no Centro Industrial de Camaçari, com infraestrutura diferenciada no país para atender as necessidades de Energia Eólica, Mecânica, Naval e Offshore, Automotiva, Elétrica, Construção Civil, Química, Petroquímica e Biotecnologia, Farmacêutica, Celulose e Papel e Petróleo e Gás.
  • 2021 – Tecon Salvador (Wilson Sons) iniciou as operações do cais Santa Dulce dos Pobres, que, somado ao de Água de Meninos, totalizou 800 metros lineares de cais de atracação.

O projeto Indústria Forte é uma realização do Correio com patrocínio da Unipar e Acelen, apoio institucional do Sebrae e apoio da Wilson Sons, Braskem, J.Macêdo, Larco, AJL, Jotagê e Comdados.

MARCA.png628e0c644823f
O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itamaraju e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
HOT & NEW
Thank You
You are now Subscribed to our product newsletter.
HOT & NEW
Thank You
You are now Subscribed to our product newsletter.