Fim do status: Vitória não terá mais conselheiros vitalícios a partir de 2023

Compartilhe

A era de um status chegará ao fim no Vitória. O posto de conselheiro vitalício deixará de existir a partir de janeiro de 2023. A decisão pela extinção do cargo foi aprovada em votação unânime durante Assembleia Geral Extraordinária (AGE) realizada no último sábado (11), com a participação de 148 sócios, no Barradão. 

De acordo com o estatuto do Vitória em vigor desde 2017, se tornavam membros vitalícios do clube os ex-presidentes dos Conselhos Deliberativo, Diretor e Fiscal que cumprissem 18 meses do mandato. Casos, por exemplo, de nomes conhecidos da política rubro-negra, a exemplo de Alexi Portela Júnior, Manoel Matos e Paulo Carneiro. Atualmente, o Vitória tem 17 conselheiros vitalícios (veja lista abaixo). Nenhum deles esteve presente na AGE de sábado.  

O Conselho Deliberativo segue com a configuração atual – 17 vitalícios e 150 membros efetivos – até dezembro, quando será encerrado o mandato. As eleições do Vitória acontecerão em setembro deste ano e os novos eleitos assumirão em 2023. 

Portanto, a partir de janeiro, os rubro-negros que eram conselheiros vitalícios deixam de ter posto cativo no Conselho Deliberativo e só passarão a figurar no órgão e, consequentemente, interferir diretamente nas decisões das assembleias, se integrarem a chapa que for eleita pelos sócios do clube.   

Os 17 conselheiros vitalícios passam a ser obrigados a pagar o plano associativo Sou Mais Vitória, mas terão o direito de converter o período em que ocupou o posto em tempo de associação. Para isso acontecer, eles terão 90 dias para se tornarem sócios. Do contrário, se tornarão inadimplentes e deixarão de ter o direito de participar da próxima eleição. 

A situação de Paulo Carneiro ainda será analisada. Apesar de ser um dos 17 conselheiros vitalícios do Vitória, ele foi destituído da presidência do clube em 21 de maio deste ano. A decisão o tornou inelegível para qualquer cargo político na agremiação durante os próximos sete anos.

“Algumas questões precisam ser analisadas. Ele é conselheiro vitalício até o final do ano. As consequências do afastamento dele levam a uma ilegibilidade dele para qualquer cargo futuro e precisamos analisar isso com muita calma ainda para ver a repercussão jurídica. O direito à associação é livre, nós não podemos coibir o direito à associação ao clube, agora, os direitos inerentes a essa associação, no caso do ex-presidente Paulo Carneiro, é que vão ser discutidos, analisados, um a um”, explicou o presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Nilton Almeida Filho.

A extinção do cargo de conselheiro vitalício é um dos pontos do texto do novo estatuto do clube, que foi encaminhado em 2019 e começou a ser apreciado apenas no último sábado. Uma comissão de adequação vai se reunir a partir de quarta-feira (15) para analisar e catalogar outras emendas do texto do novo estatuto proposto. Elas serão votadas em uma nova AGE, agendada para 16 de julho.

Os 17 conselheiros vitalícios do Vitória:

Ademar Pinheiro Lemos Júnior
Alexi Pelagio Gonçalves Portela Júnior
Antônio Ferreira da Silva Neto
Carlos Sérgio Sampaio Falcão
Christovão Rios de Britto
Epifânio Carneiro Filho
Ivã de Almeida
Jaime Maciel Fernandes
José Alves Rocha
Manoel Luiz Moura Matos
Paulo Catharino Gordilho Filho
Paulo Roberto de Sousa Carneiro
Paulo Sérgio Paranhos de Magalhães
Raimundo Dias Viana
Rui Ribeiro Rosal
Silvoney Sales de Almeida
Sinval Vieira da Silva Filho

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itamaraju e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
HOT & NEW
Thank You
You are now Subscribed to our product newsletter.
HOT & NEW
Thank You
You are now Subscribed to our product newsletter.