Jornal IN | Itamaraju NOTÍCIAS - IN 24 horas - Jornal eletrônico com notícias de ITAMARAJU e região
Itamaraju (BA)
  • WhatsApp (73) 99958-1514

Ígor Lopes revelou as potencialidades dos Açores em livro durante eventos no Brasil

Celebridade
Publicado em 14 de nov de 2021 e atualizado às 12:20

Se está em busca de produção e instalação de pias, balcões, pisos, escadas, soleiras, peitoris, banheiras e muitos mais, passe na VITÓRIA MÁRMORE E GRANITO!

“Açores em Cores” é o quarto livro autoral do jornalista e escritor luso-brasileiro Ígor Lopes. A obra, que foi apresentada no mês de outubro durante cinco dias nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, contou com grande participação do público que pode agora conhecer “as belezas, contornos e potencialidades” destas ilhas portuguesas. O livro, que leva o selo da editora “Present Celebration” e que contou com o apoio do Governo açoriano, por meio da Direção Regional das Comunidades, tem como objetivo “revelar detalhes que brasileiros, lusodescendentes e açordescendentes devem conhecer sobre o arquipélago”.

As cerimónias de apresentação da obra decorreram na Casa dos Açores do Rio de Janeiro (13 e 14 de outubro), na Casa dos Açores de São Paulo (15), na Casa de Portugal de São Paulo (16) e no espaço Labbing Santa Lúcia Coworking (21), em Belo Horizonte, com o apoio da Câmara Portuguesa de Comércio de Minas Gerais.

O autor convidou nomes de vulto da comunidade portuguesa no Brasil para falar sobre a obra, como a fadista Maria Alcina, o cônsul-adjunto de Portugal no Rio de Janeiro, João de Deus, o deputado eleito pelo círculo “Fora da Europa”, Paulo Porto, e o presidente-executivo da Câmara Portuguesa de Minas, Carlos Lopes.

No Rio de Janeiro, o dia 14 ficou marcado pela presença de autoridades vindas de Portugal, como a Secretária de Estados das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, e o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Sales, além do Embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos, o Deputado Eleito pelo círculo “Fora da Europa”, Paulo Porto, o Cônsul-Geral de Portugal no Rio de Janeiro, Luís Gaspar da Silva, e o Cônsul-Adjunto de Portugal no Rio, João de Deus, bem como outras autoridades brasileiras, como a vereadora Teresa Bergher, o Secretário de Relações Internacionais de Macaé, Alexandre Cruz, presidentes de movimentos associativos portugueses, o presidente do Real Gabinete Português de Leitura do Rio, Francisco Gomes da Costa, e empresários portugueses e luso-brasileiros. Nas demais cidades, houve representação da diplomacia portuguesa nos eventos e de Manuel Magno, presidente do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo.

“Estou muito feliz por ver o meu trabalho ser reconhecido e ter a aceitação do público. A literatura proporciona esse encontro, essa troca. Além dos meus trabalhos jornalísticos e das sinergias que proponho criar em torno da ligação Brasil-Portugal, é preciso avançar com novos projetos que mostrem que a luso-brasilidade está viva e recomenda-se”, disse Ígor Lopes, que aproveitou para agradecer o apoio recebido do público, as diversas mensagens de incentivo e o apoio logístico das Casas dos Açores do Rio e de São Paulo, da Casa de Portugal de São Paulo, da Câmara Portuguesa de Comércio de Minas Gerais, da Galtur, da Agência Incomparáveis, da Mutualista Covilhanense, da Câmara de Comércio da Região das Beiras, da Casa do Minho do Rio de Janeiro e da Obra Portuguesa de Assistência no Rio, entre outros.

Reconhecimento

Durante a passagem por São Paulo, Ígor Lopes recebeu das mãos do presidente da Sociedade Brasileira de Heráldica e Humanística, Dom Galdino Cocchiaro, no dia 15, a “Comenda da Ordem Nacional do Mérito do Empreendedor Visconde de Mauá”, título oficializado como “Honraria Oficial do Município de Mauá” e pelo Governo da República do Brasil, através do Ministério da Educação e Cultura, com o apoio da Secretaria de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania do Governo de São Paulo. Nesta mesma oportunidade, o escritor foi ainda empossado como “Chanceler”, com atuação internacional, “tendo como objetivo central atuar na aproximação entre Brasil e Portugal”.

Como forma de contributo, Renata Vieira da Motta, diretora executiva do Museu da Língua Portuguesa, com sede em São Paulo, parabenizou “o jornalista e escritor Ígor Lopes pela publicação do livro “Açores em Cores”, que apresenta de forma extensiva o arquipélago, fortalecendo as relações com os brasileiros, lusodescendentes e açordescendentes. Nesta nova etapa, o Museu apresenta uma nova instalação denominada “Nós da Língua”, que apresenta aos visitantes informações sobre os países que compartilham a língua portuguesa. É um chamado para a comunidade açoriana visitar o museu e, a partir do idioma que nos une, ampliarmos os diálogos e fortalecermos os nossos laços”.

Outras autoridades enviaram mensagens positivas ao autor, como o presidente do Governo Regional dos Açores, José Bolieiro, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, José Andrade, diretor regional das Comunidades, Flávio Martins, presidente do Conselho Permanente do Conselho das Comunidades Portuguesas, Carlos Fino, jornalista e correspondente internacional, Pedro Ramos, especialista em Gestão de Pessoas e ex-diretor de RH da TAP Air Portugal, João Morgado, escritor, Alcides Martins, membro do MPF do Brasil e diretor da Escola Superior do MP da União – Brasil, Adélio Amaro, escritor e autor do prefácio do livro “Açores em Cores”, e Úrsula Corona, embaixadora e ativista da ONU e atriz luso-brasileira.

Onde comprar?

O livro pode ser adquirido através das redes sociais do autor ou por encomenda direta via e-mail: [email protected] com entrega em todo o mundo.

Quem é Ígor Lopes?

Ígor Lopes é jornalista, escritor e social media entre Brasil e Portugal. É CEO da Agência Incomparáveis, que “defende a comunidade luso-brasileira”. É Doutorando em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior, Mestre em Comunicação e Jornalismo pela Universidade de Coimbra; Licenciado em Comunicação Social, na vertente Jornalismo, no Rio de Janeiro, pela FACHA; Possui especialização em Gestão de Redes Sociais e Comunidades para Jornalistas pela Universidade de Guadalajara, México. Os seus cursos superiores estão reconhecidos e validados pela Universidade Nova de Lisboa e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Atua para agências de notícias e meios de comunicação onde há Diáspora portuguesa e comunidade luso-brasileira. É responsável pelo conteúdo do Gazeta Lusófona, da Suíça, e pela agência e-Global, de Lisboa. Trabalha na aproximação entre Brasil e Portugal em vários níveis e é responsável pelo departamento de Comunicação e Marketing da Mutualista Covilhanense, em Portugal, onde desempenha funções também na “Casa Moura”, projeto de ajuda humanitária que acolhe jovens menores desacompanhados, fruto de um compromisso assumido pelo Estado Português junto da União Europeia.

É autor dos livros “Maria Alcina, a força infinita do Fado” (2016), “Casa do Distrito de Viseu: 50 anos de dedicação à cultura portuguesa no Rio de Janeiro” (2016) e “Rancho Folclórico Maria da Fonte da Casa do Minho do Rio de Janeiro – A jornada do grupo português que valoriza a cultura minhota no Brasil desde 1954” (2019). Mais recentemente, escreveu um quinto livro, ainda sem data de lançamento: “Festas d’Agonia – Viana do Castelo – Para Brasileiros e Lusodescendentes” (2021).

É membro da Academia de Letras de Teófilo Otoni (ALTO), da Eco Academia de Letras, Ciências e Artes de Terezópolis de Goiás (E-ALCAT), da Academia de Letras e Artes de Paranapuã (ALAP) e da Academia Luso-Brasileira de Letras (ALBL). Foi condecorado no Brasil e em Portugal com medalhas, diplomas e comendas por diversas instituições.