Array

MPF consegue suspensão de reintegração de posse contra comunidade indígena Pataxó no município de Prado (BA)

Compartilhe

Pedido foi apresentado à Justiça Estadual nessa terça (25), seguindo entendimento do STF que suspendeu desocupações e despejos

O Ministério Público Federal (MPF) pediu, no fim da manhã dessa terça (25), a suspensão imediata de decisão liminar que permitiu ações destinadas à reintegração de posse de área ocupada por 60 indígenas Pataxós, no município de Prado, extremo Sul da Bahia. A solicitação foi apresentada à Comarca de Prado, da Justiça do Estado da Bahia, que acatou o pedido e suspendeu, ainda nessa terça-feira, a decisão liminar de desocupação.

Segundo o MPF, houve uma possível atuação de má-fé dos autores quando omitiram na petição inicial o fato de que existe disputa de direitos indígenas sobre a terra que alegam possuírem, já que a área faz parte da Terra Indígena (TI) Barra Velha.

“Os autores retiraram da ação seu aspecto social, tratando disputa sobre territórios originários como se tratassem de uma simples invasão de terras. A TI Barra Velha está em processo de demarcação e o direito à terra é um dos mais primordiais para os povos indígenas. Isso implica clara incidência do disposto no art. 109, XI, da Constituição, que fixa a competência da Justiça Federal”, explica o procurador da República José Gladston.

O MPF na Bahia alegou também que a decisão, proferida pela Justiça Estadual no dia 14 de janeiro, deixou de observar acórdão proferido pelo STF que suspendeu desocupações e despejos durante a pandemia de covid-19 (Lei nº 14.2016/21). A norma teve seu vigor prolongado até 31 de março, levando em consideração as graves repercussões sociais que desocupações poderiam ensejar em época de pandemia.

O MPF/BA pediu também da Justiça Estadual o reconhecimento da competência federal para processar e julgar a disputa de terras na região de Prado, declinando a ação para a Seção Judiciária de Teixeira de Freitas.

Confira íntegra do pedido do MPF/BA

Confira Íntegra da decisão da Justiça Estadual

Assessoria de Comunicação

HOT & NEW
Thank You
You are now Subscribed to our product newsletter.
HOT & NEW
Thank You
You are now Subscribed to our product newsletter.