Universidades privadas oferecem mais de duas mil vagas pelo Prouni em Salvador; veja como se inscrever

Compartilhe

Os alunos que desejam ingressar em uma faculdade particular, mas não têm condições de arcar com as altas mensalidades, podem tentar uma bolsa parcial ou integral do Programa Universidade para Todos (Prouni), que inscreve até a próxima quinta-feira (4). As inscrições foram abertas nesta segunda, 01, com a oferta de milhares de vagas em diversos cursos nas instituições particulares de ensino superior do país. Em Salvador, são 2.234 vagas em 142 cursos que vão de Medicina a Jogos Digitais. 

Podem participar estudantes interessados em bolsas de estudo parciais (50%) ou integrais (100%), desde que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em qualquer uma das duas últimas edições e atingido, no mínimo, a média de 450 pontos em cada matéria do exame. Além disso, o estudante não pode ter zerado a prova de redação e nem ter participado do certame como treineiro.

O processo seletivo do segundo semestre do Prouni tem outra novidade. A partir da nova lei federal 14.350/22, quem estudou em escola particular, mesmo sem ter sido bolsista, poderá tentar uma das vagas de ensino superior pelo programa. Para ser contemplado, o estudante precisa ter uma renda familiar mensal per capita de até 1,5 salário mínimo para uma bolsa integral ou até três salários para uma bolsa parcial. Antes, só eram considerados alunos egressos da rede pública ou bolsistas de instituições privadas.

Classificação e escalonamento
Com a medida, a sequência de classificação dos candidatos também mudou e agora acontece de acordo com as opções de curso, notas obtidas no Enem e modalidade de concorrência (leia texto ao lado). São priorizados os professores da rede pública de ensino que queiram ingressar em cursos de licenciatura e pedagogia destinados à educação básica, seguidos por estudantes que tenham cursado o ensino médio completo em escola da rede pública e, na sequência, estudantes que tenham cursado o ensino médio parcialmente em escolas públicas e parcialmente em instituição privada como bolsista integral. 

Depois da distribuição das vagas para as prioridades listadas acima, será a vez dos alunos que estudaram parcialmente em escolas particulares como bolsistas parciais ou não; e dos estudantes que cursaram o ensino médio completo em instituição privada, como bolsista integral. Por último na disputa pelas bolsas nas faculdades, virão os alunos que cursaram o ensino médio completo em instituição privada, com ou sem bolsa parcial. 

“Os estudantes serão pré-selecionados em apenas uma das opções de curso, observada a sequência de opção que selecionou no momento da inscrição, o limite de bolsas disponíveis e a ordem de classificação”, afirmou o Ministério da Educação (MEC) por meio de nota.

Ana Clara Barbosa, 18 anos, se encaixa na última classificação. A jovem pretende cursar Medicina e vai tentar ingressar em uma faculdade com a nota do Enem de 2021. “Como eu não poderia tentar o Prouni, eu sempre estive aberta a outras possibilidades além do Sisu [Sistema de Seleção Unificada], principalmente o Fies [Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior], por conta da nota de corte ser menor e o curso que eu quero é muito concorrido. Eu enxergo essa mudança no Prouni como um novo Sisu, visto que todo mundo pode tentar agora e a concorrência vai aumentar muito”, diz.

A alteração, no entanto, não é bem recebida por todos. “Existe um receio e uma crítica de que a nova lei vai diminuir o número de vagas para os alunos da rede pública”, afirma Jorge Tadeu Coelho, presidente  do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado da Bahia. 

Mesmo Ana Clara, que será beneficiada, acredita que existem “dois lados da moeda” com a nova medida: “Ela pode prejudicar muito as pessoas do colégio público, porque a nota de corte vai aumentar, mas vai ajudar muito também as pessoas que querem cursar o ensino superior”, diz a estudante. 

Para Jorge Tadeu, a mudança não é injusta porque apenas estudantes que vivem com até três salários mínimos têm o direito de se inscrever no programa.  “Não é um aluno da rede privada, cheio de privilégios, que vai ser beneficiado, o corte econômico é o primeiro corte. Nem sempre essa pessoa da escola privada tem condições para pagar um ensino superior, às vezes a família toda se junta para pagar a mensalidade do colégio, a realidade brasileira é complexa”, pontua. 

O presidente do Sinepe-BA ressalta ainda que a rede privada de faculdades têm vagas ociosas que serão usadas sem tomar vagas de outros. E argumenta que o governo precisa dar acesso ao ensino superior aos jovens, independente de serem ou não oriundos de escolas privadas.

Bolsas em Salvador
Nicolly Mota da Silva, 17 anos, ainda está no terceiro ano do ensino médio e pretende utilizar o Prouni no primeiro semestre de 2023. A estudante quer cursar Medicina na Universidade Federal da Bahia (Ufba) ou na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), mas conta que é um alívio ter outras opções na rede privada.

“Eu fiquei muito satisfeita com a mudança, porque mesmo sendo aluna de escola particular, não tenho condições para pagar uma faculdade privada, então me ajudaria muito a ter esse acesso de forma mais rápida”, afirma. 

Pelas novas regras, ficam extintas as bolsas parciais de 25% do Prouni. A partir de agora, as bolsas são integrais ou de 50%. Cada faculdade e curso têm sua própria nota de corte (nota necessária para se conseguir a aprovação em um processo seletivo), e cabe aos estudantes escolherem onde se encaixam melhor. 

Ana Clara conta, por exemplo, que não deseja estudar medicina em uma instituição específica, mas que sempre procura cidades próximas para não ter um custo alto de deslocamento. “Eu não sei muito sobre o Prouni, como não pude participar, nunca pesquisei muito. Acredito que esse segundo semestre vai funcionar como  teste para eu saber como será a ingresso”. 

Em Salvador, apenas uma instituição privada oferece vagas em medicina para o segundo semestre de 2022. O Centro Universitário Dom Pedro, localizado no bairro do Comércio, disponibilizou 19 bolsas integrais para os estudantes. O curso com maior número de vagas na capital  é administração, que oferece 256 bolsas integrais e parciais em 20 instituições. Enfermagem, Direito, Psicologia, Educação Física e Serviço Social também figuram entre os cursos com mais vagas disponíveis.

Vagas no interior
O Centro Universitário Maurício de Nassau (Uninassau) informou que possui 45 vagas no  Prouni neste semestre para as sedes localizadas na capital, Lauro de Freitas e Vitória da Conquista. A Faculdade São Francisco, de Barreiras (Unifasb) possui 60 vagas para cerca de 11 cursos. Já o Centro Universitário Joaquim Nabuco (Uninabuco),  tem 20 vagas em Feira de Santana, 22 em Lauro de Freitas e 20 em Salvador. O Ministério da Educação (MEC)  ainda não possui o número total de bolsas oferecidas no país e, especificamente, na Bahia. 

No primeiro período do ano, o Prouni bateu o recorde de 273 mil vagas disponibilizadas, das quais 17 mil foram par a  Bahia. 

Inscrições

Os estudantes que querem concorrer a uma bolsa em faculdades particulares pelo Prouni têm até a quinta-feira, dia 04,  para fazer a inscrição gratuita pela página oficial do ProUni (prouni.mec.gov.br). 

Na hora de se inscrever, os candidatos podem selecionar duas instituições para concorrer a uma bolsa, dois cursos e dois turnos. As opções são consideradas por ordem de preferência e os alunos podem fazer alterações durante o prazo de inscrição, mas será válida a última opção confirmada na página do candidato quando o período de inscrição chegar ao fim.

As pessoas com deficiência, pretos, pardos e indígenas podem concorrer às vagas destinadas às políticas afirmativas, marcadas como PPI e PCD.  Depois do prazo da inscrição dos candidatos, as instituições de ensino têm 24 horas a partir da divulgação dos resultados das chamadas para explicar aos estudantes como funciona o processo seletivo e quais os critérios para aprovar ou não um candidato. Para as instituições com modalidade de concorrência própria, o Prouni afirma que “os critérios não podem ser mais rigorosos do que aqueles aplicados aos pré-selecionados em seus processos seletivos regulares”.

O resultado com a lista dos candidatos pré-selecionados será disponibilizado no site do programa e será constituído de duas chamadas, previstas uma para o  dia 8 de agosto e a outra para  22 de agosto deste ano.

No quadro ao lado, veja os critérios para ter direito a uma bolsa integral ou parcial e confira o cronograma do processo seletivo.

Cronograma:

Inscrição – 1º a 4 de agosto
Resultado da 1ª chamada – 8 de agosto
Comprovação de informações da 1ª chamada – 8 a 17 de agosto
Resultado da 2ª chamada – 22 de agosto
Comprovação de informações da 2ª chamada – 22 de agosto a 31 de setembro
Prazo para lista de espera – 5 e 6 de setembro
Divulgação da lista de espera – 9 de setembro
Comprovação de informações da lista de espera – 10 a 16 de setembro

*Orientadas pela subchefe de reportagem Monique Lôbo
 

HOT & NEW
Thank You
You are now Subscribed to our product newsletter.